Retrospectiva de 2020 : Barueri ressalta resiliência durante a pandemia

 Retrospectiva de 2020 : Barueri ressalta resiliência durante a pandemia
Compartilhe essa matéria

O ano de 2020 acabou e definitivamente foi um ano atípico. Todos foram privados de coisas simples como dar um abraço, com saudades de quem se foi e ainda assustados com os impactos da pandemia do novo coronavírus, muitos aproveitam este momento de reflexão para fazer um balanço, não só dos últimos 12 meses, mas de toda a existência.

Thank you for reading this post, don't forget to subscribe!

A crise sanitária mundial colocou uma lente de aumento em tudo e potencializou a percepção de todos. Fraquezas foram expostas, qualidades ficaram mais evidentes e onde havia amor, a solidariedade se materializou. Diante deste cenário, se há uma palavra que pode definir o ano de Barueri é resiliência.

De cidade inteligente a cidade resiliente, Barueri busca também tornar-se sustentável. Para colaborar com um ambiente ecologicamente correto, economicamente viável, socialmente justo e culturalmente diverso, o município baliza suas ações nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU.

Cidade com saúde de primeira 

Mesmo durante a maior epidemia dos últimos 100 anos, Barueri não precisou improvisar instalações para oferecer assistência médica à sua população. Com a capacidade máxima retomada em 2017, o Hospital Municipal de Barueri tornou-se referência no cuidado com pacientes da Covid-19. Já o Pronto-Atendimento Vanderson César de Almeida, concluído em 2019 no Jardim Paulista, tem sido hospital de retaguarda exclusivo para a doença. Para identificar mais casos de infecções pelo coronavírus, a Prefeitura criou um programa de testes em massa para assintomáticos e já prorrogou sua duração para o próximo ano.

A pandemia tem sido enfrentada com uma infraestrutura bem robusta na área. Em quatro anos, a rede municipal de saúde ganhou o reforço de mais quatro UBSs (Tupan, Vale do Sol, Maria Helena e Engenho), dois Prontos-Socorros (Imperial e Mutinga), Centro de Hemodiálise, Centro de Diagnósticos, Centro de Especialidades e três Caps (Centros de Atenção Psicossocial). Tudo com modernos aparelhos e fluxos informatizados.

Cidade próspera 
Barueri tem mostrado toda sua estrutura e sua capacidade para superar a adversidade. Mesmo num ano atípico, o município termina 2020 com importantes conquistas. Barueri se destacou mais uma vez no ranking anual das Melhores Cidades para Fazer Negócios (da revista Exame) e foi apontado como o melhor município do país para investir no comércio, segundo melhor no setor de serviços e décimo no setor de mercado imobiliário e construção civil.

Já o Ranking de Competitividade dos Municípios (do Centro de Liderança Pública) identificou Barueri como a cidade mais competitiva do país, enquanto o Ranking Connected Smart Cities (da Urban Systems) destacou a cidade como a primeira do Brasil na categoria economia.

Os números retratam o empenho da Secretaria de Indústria, Comércio e Trabalho para impulsionar microempreendedores individuais, desburocratizar o processo de abertura de novas empresas e qualificar a mão de obra, com programas como o Meu Futuro.

Cidade que não para 
Se em 2017 a Prefeitura de Barueri precisou recuperar a capacidade de investimento para retomar construções, neste ano, mesmo com a pandemia, as obras não foram interrompidas. A aplicação de recursos no setor é importante contributo para a retomada econômica do país no momento de crise. O Hospital Regional Rota dos Bandeirantes, por exemplo, em construção com recursos municipais e estaduais, gera 350 empregos diretos e futuramente mais 2 mil indiretos.

Nestes últimos anos, a Prefeitura recapeou ruas e avenidas em todos os bairros, revitalizou o Boulevard (com conversão da rede elétrica aérea para subterrânea), efetuou o alargamento da Via Parque e da avenida Paiol Velho em Alphaville, remodelou o sistema viário no trecho da rua da Prata, implantou iluminação em LED, fez o terminal rodoviário do Vale do Sol, construiu o Fórum de Barueri, concluiu os viadutos do Parque Imperial e sobre a alameda Araguaia e ergueu áreas de lazer no Belval, Audir, Vila Porto, Líbano e Engenho Novo, além de escolas e equipamentos de saúde e esporte.

Atualmente também estão em obras a Praça das Artes, Centro Esportivo do Jardim Silveira, ligação da alameda Tocantins com a avenida Café do Ponto, Conjunto Habitacional do Engenho Novo e novas unidades escolares.

Cidade educadora 
Enquanto a pandemia obrigava o mundo a buscar novas ferramentas para o ensino remoto, a Prefeitura de Barueri já tinha informatizado toda a sua rede de ensino com a plataforma Google For Education e a aquisição de mais de 10 mil chromebooks e outros equipamentos como óculos virtuais e terminais de videoconferência.

Isso reduziu o impacto sobre a aprendizagem dos estudantes e quem não possuía computador ou conexão com a internet recebeu, emprestado da Secretaria de Educação, chromebooks e modens com pacote de dados. A cada mês sem aula presencial, todos os 67 mil alunos da rede municipal ganharam cestas com itens da merenda escolar.

Outros avanços na área nestes anos foram: a contratação de 100 ônibus escolares 0km para transporte das crianças, fornecimento de materiais e uniformes de qualidade, conclusão de oito maternais e cinco escolas, modernização dos laboratórios de ciências, criação do Centro de Referência pela Primeira Infância e implantação de programas como Música e Arte ao Ar Livre, Filosofia em Ação e Busca Ativa Escolar.

Já a Fieb recuperou a excelência no ensino com oferecimento gratuito de 22 cursos técnicos, Ensino Médio regular e Cursinho Pré-Vestibular, além da realização da Expotec – maior feira de cursos técnicos da região. Em 2019 o bairro Aldeia da Serra ganhou uma unidade da Fundação com capacidade para 400 alunos.

Todos estes investimentos permitiram que a cidade avançasse no Ideb e que seus alunos conquistassem premiações em competições de conhecimento como Khan Academy, Plataforma Arkos, Mentes Notáveis, Olimpíada de Astronomia (OBA) e Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep).

Cidade segura 
Em quatro anos Barueri reduziu em 43% o número de crimes em seu território, de acordo com estatísticas da SSP-SP. Na comparação da quantidade de ocorrências entre janeiro e outubro de 2020 com o mesmo período de 2016, a cidade viu diminuição significativa nos casos de homicídio doloso (-47,6%), roubo (-50,8%), roubo de veículo (-50,9%), furto (-40,7%) e furto de veículo (-37,8%).

A queda da criminalidade é fruto do investimento municipal em novos equipamentos e na atuação inteligente e coordenada da Guarda Civil com as demais forças de segurança. Neste período houve a instalação do Centro Integrado de Monitoramento (CIM) com ampliação para mais de 480 câmeras, implantação do Canil da Guarda, modernização da frota com 150 viaturas novas e com GPS, criação do Patrulhamento Tático Feminino, formação da Romu (Ronda Ostensiva Municipal), integração do monitoramento ao Sistema Detecta, construção do Batalhão da PM no Jardim Paulista e do 5º BAEP no Parque Santa Luzia, realização de operações conjuntas com a PM e Polícia Civil, implantação do Programa Escola Mais Segura (com reforço policial e monitoramento por câmeras nas unidades de ensino), criação da Base Guardiã Maria da Penha (com atendimento 24h por dia), revitalização da Guarda Ambiental, aumento do efetivo do Demutran, substituição de armamentos antigos, realização de programas educativos na Defesa Civil, implantação de motocicletas no Resgate Municipal e instalação de novos postos.

Cidade inteligente 
Com projetos capitaneados pelo CIT (Centro de Inovação e Tecnologia), Barueri avançou muito na área de tecnologia da informação. Na pandemia, em parceria com outras instituições, o órgão chegou a produzir, em impressoras 3D, mais de mil protetores faciais (do tipo face shield) para unidades de saúde.

Nestes últimos anos, outras inovações tornaram Barueri mais inteligente oferecendo serviços com mais agilidade para o cidadão, como os APPs “Alô Barueri”, “Servidor” e “Saúde Barueri”. A cidade conta com 122 pontos de Wi-Fi grátis, 410 km de fibra ótica e 182 projetos de informatização da administração pública. O CIT também tem apostado no desenvolvimento de soluções tecnológicas em parceria com empresas e escolas e dispõe de SmartLab, pré-incubadora e incubadora de projetos e programa de desenvolvimento de talentos, além de cursos e treinamentos.

Estas realizações ganharam destaque e receberam prêmios nacionais e um internacional na área. Neste ano, Barueri saltou no ranking geral Connected Smart Cities da 59ª posição para o 13º lugar; no quesito “Tecnologia e Inovação” o município conquistou o 7º lugar do país. Barueri também recebeu o prêmio Brasil 5.0, do Instituto Micro Power, por usar a tecnologia da informação para melhorar a qualidade de vida da população.

Cidade limpa 
Mesmo durante a pandemia, a Secretaria de Serviços Municipais não parou de trabalhar. Tudo para deixar a cidade mais bonita, conservar a limpeza das áreas públicas e para não degradar o que foi feito nos últimos quatro anos.

Neste período a SSM implantou o programa Papa-Entulho, um serviço social que empresta e coleta big bags que armazenam restos da construção civil para quem não tem condições de contratar uma caçamba. A pasta também instalou caçambas ecológicas e revitalizou áreas com pontos viciados de entulho.

Além de mais de 1 milhão de serviços de conservação e zeladoria, foram construídas áreas de lazer na região central (entre alça de acesso do viaduto Tancredo Neves e o Ginásio Poliesportivo José Corrêa), rua Jambeiro (Parque Viana) e Rua Foz do Iguaçu (Jardim Maria Helena). Os murais perto da estação CPTM Barueri e na rotatória do Chácaras Marco ganharam embelezamento especial da equipe de pintura.

Cidade solidária  
É nos momentos mais difíceis que a solidariedade se faz presente. Ainda antes dos impactos da pandemia, a Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social (Sads) e o Fundo Social iniciaram campanhas de arrecadação de materiais e donativos para as pessoas que foram afetadas pelas fortes chuvas do começo do ano. Com a propagação do coronavírus, o espírito solidário foi contagiante e não parou. Foram arrecadados e doados 500 botijões de gás, 149 toneladas de alimentos e 39.194 unidades de produtos de higiene e limpeza.

A Campanha do Agasalho, que em 2017 voltou a distribuir apenas peças novas, neste ano teve que ser diferente. Foram comprados 20 mil cobertores que, somados às 1.929 mantas e forrações arrecadadas, foram entregues a idosos, crianças e adolescentes, pessoas com deficiência, moradores de rua e às famílias mais vulneráveis.

Por meio do Núcleo de Moda (que teve as aulas reativadas em 2017), a Sads distribuiu em terminais rodoviários cerca de 22 mil kits contendo máscaras, sabonete e álcool em gel. Durante a pandemia, o número de cestas distribuídas por mês aumentou para 30 mil unidades.

E muitas outras ações solidárias marcaram esses quatro anos. Campanhas levantaram fundos para AACD, GRAACC, Apae e Rainha da Paz. O Centro Comunitário Jaraguá-Mirim foi inteiramente reconstruído, o Parque da Maturidade ganhou reforma, o projeto Mães Cuidadoras gera renda para 40 mulheres com filhos com deficiência e o programa ReNascer mudou a vida de 53 bolsistas ex-moradores de rua. Houve parceria com o Profesp para atender estudantes com atividades desportivas e orientações de civismo e os Cras foram reformulados com direito à nova unidade no Jardim Paulista e nova sede para o Jardim Silveira.

Cidade dos esportes 
O desporto teve grande papel na pandemia. Com a interrupção das atividades esportivas e a impossibilidade de presença de público nas competições profissionais, a Secretaria de Esportes teve que se reinventar para levar bem-estar ao cidadão. O programa Barueri Esporte Forte, criado para promover educação por meio da prática desportiva para mais de 10 mil crianças e adolescentes em 17 modalidades, e os programas de combate ao sedentarismo Vidativa e Vida Saudável passaram a proporcionar aulas on-line com grande adesão dos baruerienses.

Nos últimos anos o Ginásio José Corrêa e a Arena Barueri voltaram a sediar grandes eventos esportivos de destaque internacional, como a Liga das Nações de Vôlei, e receberam reformas na iluminação, academias (ginásio) e gramado e arquibancadas (estádio). Na Arena também foi criado um Centro de Fisioterapia

O Campeonato de Futebol e Futsal Amador de Barueri cresceu em número de equipes e participantes, reunindo cerca de 300 clubes e 30 mil atletas de todas as faixas etárias. Houve implantação de gramados sintéticos nos dois campos do Complexo da Vila Porto e também no Parque Viana e Jardim Maria Helena. Outros equipamentos públicos esportivos foram reformados e o Bairro dos Altos ganhou, em 2018, o CIE (Centro de Iniciação ao Esporte). E não para por aí. Está em construção o novo Centro Esportivo do Jardim Silveira, um projeto audacioso com duas quadras, uma por cima da outra.

Cidade multicultural  
Coube às artes o papel de entreter durante o isolamento social imposta pela pandemia. E como não há arte sem artista, a Secretaria de Cultura e Turismo de Barueri foi o instrumento para que os recursos da Lei Aldir Blanc chegassem à classe, inclusive encontrando novos talentos e mapeando artistas ativos por área.

A educação pela arte, que já contava com 9 mil alunos inscritos nas oficinas, também ganhou aulas virtuais, assim como os novos Núcleos de Dança e de Música. Novos projetos, programas, festivais e agendas de espetáculos tiveram que ser interrompidos, mas fizeram tanto sucesso que voltarão assim que for possível.

A nova Praça das Artes, que vai abrigar um dos maiores teatros do Brasil e ampliar o programa de aulas de artes, já está com obras avançadas e em breve se consolidará como o melhor complexo cultural da região.

Cidade inclusiva  
Sempre presente na vida das pessoas com deficiência, a Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência não poderia se omitir na pandemia e usou a tecnologia para se aproximar dos seus frequentadores. Com o programa SDPD na sua Casa, a pasta transmitiu entretenimento, informação e muito carinho para os usuários.

Nos últimos anos, Barueri se qualificou entre as 10 cidades mais inclusivas do estado, conquistou o prêmio Internacional Bloomberg Mayors Challenge, implantou programas de empregabilidade (como o LabMob), transformou o atendimento em Centro-Dia (através de oficinas com foco no social, voltadas para munícipes com deficiência maiores de 18 anos), incentivou os esportes adaptados e a iniciação paraolímpica.

Em 2018, foi concluída a construção do Centro de Equoterapia. A sede própria em Alphaville oferece a terapia com cavalos e atualmente transforma a vida de 237 pessoas com deficiência.

Cidade que respeita as mulheres 
Além de colocar o mundo em alerta, a pandemia também jogou luz sobre a violência contra mulher, cujos casos aumentaram durante o período de quarentena em função do aumento do tempo de convívio entre os casais. Em Barueri, a Secretaria da Mulher, mesmo a distância, se colocou como voz do protagonismo feminino.

Pela internet, as mulheres puderam acompanhar todas as ações e programas que já haviam feito sucesso nos anos anteriores, como o Desafio das 12 Semanas e Outubro Rosa. Outros pontos importantes no período foram a instituição do “Prêmio Mulher em Destaque” e a criação do “Selo Social Empresa Amiga da Mulher”.

Cidade sustentável  
O ano de 2020 ratificou a importância da preservação ambiental já que todos convivem no mesmo planeta e estão sujeitos às mesmas consequências. Barueri avançou na sustentabilidade e atingiu o primeiro lugar da região no Programa Município VerdeAzul. A cidade também ganhou prestígio mundial ao receber o prêmio internacional Cidade Amiga dos Animais, na categoria “Gestão eficiente de instalações de triagem e realocação”.

O reconhecimento espelha o trabalho da Secretaria de Recursos Naturais e Meio Ambiente, que nestes quatro anos revitalizou os parques Municipal, Ecológico e Taddeo Cananéia, criou a lei do Estatuto do Animal,  promoveu mais de 11 mil castrações gratuitas e microchipagens para animais domésticos, viabilizou cerca de 500 adoções de cães e gatos por ano, ampliou o Cepad, aumentou a atuação do Cetas, implantou o Plano Municipal de Mata Atlântica de Barueri, criou a Lei do Lote Limpo para diminuir a sujeira em terrenos, implantou o Resgate Animal e implementou legislação que combate queimadas.

0 Reviews

Relacionados