Mais de 5 mil detentos estão inscritos no Enem PPL 2023 na região Oeste, segundo Governo de SP

 Mais de 5 mil detentos estão inscritos no Enem PPL 2023 na região Oeste, segundo Governo de SP

Créditos: Governo de SP

Compartilhe essa matéria

A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) registrou a inscrição de mais de cinco mil detentos para as provas do Exame Nacional do Ensino Médio para Pessoas Privadas de Liberdade (Enem PPL) em 2023, nos presídios
compreendidos pela Coordenadoria de Unidades Prisionais da Região Oeste (Croeste).

São 5.182 inscritos neste ano, contra 5.085 do ano passado. Houve aumento de quase 2% na procura de sentenciados, pela participação do exame. Nas unidades prisionais em todo Estado de São Paulo, o número chegou a
21.721, um aumento de 10,87% em relação ao total de presos interessados em
participar do certame no ano passado.

As inscrições foram encerradas em 27 de outubro e as provas deverão ser aplicadas nos dias 12 e 13 de dezembro nas unidades da SAP.  O Enem PPL permite o acesso ao ensino superior por meio de iniciativas como o (Sisu), Programa Universidade Para Todos (Prouni) e Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

A avaliação de desempenho é focada em reeducandos que terminaram o ensino médio e realizada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).  O exame tem o mesmo grau de dificuldade do Enem regular e é composto por quatro provas, que juntas somam 180 questões, e uma redação em língua portuguesa. Além de promover o acesso à universidade, a avaliação também contribui para a análise da educação como um todo.

Preparo

Como preparo para o exame, os reeducandos contam com aulas do ensino regular, ofertadas pelas escolas vinculadoras e ainda, em parceria com a Fundação “Prof. Dr. Manoel Pedro Pimentel” (Funap) e a Fundação
PoliSaber, a SAP promove mais uma forma de preparação para o Enem: os Cursinhos da Poli. As turmas são compostas por reeducandos dos Centros de Detenção Provisória I e II de Belém e reeducandas da Penitenciária Feminina da Capital.

O curso tem duração de seis meses, com material didático fornecido pela Fundação PoliSaber e acompanha as mesmas diretrizes dos cursos regulares da instituição, garantindo a qualidade do aprendizado.

0 Reviews

Relacionados