Cultura do cancelamento: Ela é boa ou ruim e porque ela existe?

 Cultura do cancelamento: Ela é boa ou ruim e porque ela existe?
Compatilhe essa matéria

Se você se relembrar de alguma celebridade que disse algo controverso ou se envolveu em alguma polêmica, provavelmente ela já foi sentenciada ao “cancelamento” pelo tribunal das redes sociais. De uns anos para cá, o verbo “cancelar” passou a ser empregue para boicotar pessoas, seja anônimos ou famosos.

A cultura do cancelamento é um fenômeno em que uma pessoa é ejetada de uma posição de influência ou fama devido a atitudes questionáveis. É uma espécie de boicote em que um indivíduo (geralmente uma celebridade), que compartilhou uma opinião questionável ou controversa, ou que no passado teve comportamento percebido como ofensivo nas redes sociais, é “cancelado”.

As pessoas são ostracizadas e afastadas por seguidores e apoiadores, levando a um grave prejuízo na carreira do cancelado. No caso de celebridades, sua base de fãs pode diminuir significativamente. Esse é um tema polêmico, utilizado comumente em discursos inflamatórios, com alta carga ideológica, muitas vezes com o objetivo de atacar outro grupo social ou político.

Os antigos costumes do mundo vêm se desconstruindo, o racismo não é mais tolerado, piadas sobre os hábitos antigos dados às mulheres, assim como qualquer forma de assédio já não têm mais graça, preconceitos com determinadas classes sociais, xenofobia, homofobia, o bullying online vem sendo combatido por diversas redes sociais entre outras intolerâncias. Mas o ato de cancelar também pode acontecer com coisas banais, como falar mal de uma cantora pop muito famosa ou dizer que não gosta de algo muito popular.

Há quem faça comentários desnecessários na internet propositalmente, seja para chamar a atenção ou por querer manifestar seus pensamentos, e também há quem seja contra a ideia de desconstrução social e parecem nunca ter acesso à modernização. Em ambos os casos, a internet se tornou uma grande justiceira e uma nova forma de justiça social surgiu: a cultura do cancelamento.

Atualmente o Twitter e o Instagram são os principais focos nesse fenômeno, diversos famosos ou influenciadores digitais são “cancelados”, ou seja, excluídos da sociedade para determinada pessoa ou grupo, porque na visão da sociedade se fez ou disse algo errado e são punidas por esse feito. Algumas vezes o cancelamento é temporário, outras vezes a pessoa cancelada precisa mudar, pelo menos exteriormente, para ser aceita novamente.

Existem casos e casos, e a grande parte deles acontece por conflitos de opiniões e pensamentos, em situações mais graves os envolvidos acabam recebendo ameaças de morte, entre outras coisas prejudiciais à saúde mental.

As pessoas precisam, de fato, entender que diversos comportamentos não são mais aceitos na sociedade. Mas para entender o motivo de estar acontecendo tantos cancelamentos, inclusive os mais banalizados, é preciso não só levar em questão a punição por questões sociais, mas a liberdade que plataformas digitais nos trazem, facilitando as manifestações de ideais sobre o que merece ser debatido.

Nesse contexto o individuo é quem define o que é certo e o que é errado, sem que uma lei ou instituição seja a sua referencia para tal feito, então, o que era passível de ter uma discussão pública acaba sendo constituído de forma privada.

Já que o que é suscetível de uma punição em uma sociedade não é na outra. Isso, conforme políticas públicas que definem o que é crime ou não, que depende da criação de uma lei, a necessidade de ser votada para ser aprovada, muitas vezes alterando a constituição. Há uma série de mobilizações que anseiam por coisas diferentes, buscam por leis diferentes e proteções que estão dentro de um espaço público, que estão abertas e em discussão.

Cultura do cancelamento é um tema que já chegou a ser debatido até mesmo pelo ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, “O mundo está uma bagunça, existem ambiguidades, pessoas que realmente fazem coisas boas têm falhas. Pessoas com quem você está lutando podem amar seus filhos e compartilhar algumas coisas com você”, afirmou.

Esse descontentamento acontece porque a pessoa que está cancelando pensa que não pode mudar o cancelado, e em vez disso consegue o excluir de sua vida e excluir a própria vida do cancelado, fazendo com que ele perca a própria dignidade.

Sendo assim a sociedade em geral deve estar atenta aos seus julgamentos, baseando-se mais na empatia e menos na intolerância. É importante e primordial questionar fatos e opinar sobre pessoas de forma coerente, dessa todos saem ganhando.

 

Relacionados