Alesp aprova PL que regula escolas cívico-militares na rede pública estadual

 Alesp aprova PL que regula escolas cívico-militares na rede pública estadual
Compatilhe essa matéria

O projeto visa melhorar a qualidade do ensino e a convivência escolar

A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo aprovou, nesta terça-feira (02/03), o projeto de lei do deputado estadual Tenente Coimbra (PSL/SP), que institui a implementação das escolas cívico-militares na rede pública estadual de ensino.

A lei detalha como será o processo de conversão das unidades escolares escolhidas. “O objetivo final é proporcionar a oportunidade de melhoria no ensino e no ambiente, em escolas localizadas em áreas de vulnerabilidade social e com baixa média no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica)”, explica o parlamentar. “É um modelo de gestão compartilhada que dá resultado em inúmeras cidades do país. Fico muito feliz em ser pioneiro e o deputado que levanta essa bandeira em nosso estado”, completa.

Mas, nas escolas cívico-militares, os professores permanecem totalmente encarregados pelas aulas e pelo ensino, enquanto os militares auxiliam nos setores administrativo e disciplinar. “E é importante ressaltar que nenhuma unidade será obrigada a se converter. Nós apresentamos o modelo para professores, responsáveis pelos alunos e toda a comunidade escolar, mostramos todos os benefícios, desmistificamos o assunto e, depois, há a votação para aprovar a mudança ou não”, afirma o deputado, que criou e preside a Frente Parlamentar pela Implementação das Escolas Cívico-Militares no Estado de São Paulo.

O projeto visa melhorar a qualidade do ensino e a convivência escolar

No início deste ano, também após intermediação de Tenente Coimbra, o Estado de São Paulo aderiu ao Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares (Pecim), do MEC. “Inicialmente, São Paulo havia ficado de fora do programa federal, mas realizamos um intenso trabalho em conjunto com o MEC e conseguimos a inclusão do estado”, conta.

Atualmente, a escola municipal Matheus Maylasky, em Sorocaba, já iniciou o processo de conversão. A implantação do modelo também avança na escola Professor Jorge Bierrenbach Senra, em São Vicente. Então, em ambas as unidades foram selecionadas por meio do Pecim. Outras instituições de Santos e Bauru também já estão em processo de seleção. Porque agora, as escolas estaduais também terão a oportunidade de adotar o modelo.

O projeto será enviado para a sanção do governador. “Estamos muito felizes com a aprovação do PL pela Alesp e esperamos que o governador possa sancioná-lo e promulgá-lo o mais rápido possível”, comentou Tenente Coimbra.

Relacionados